Museu Lobato: um lugar para quem já é apaixonado e para quem precisa se apaixonar pelo Sítio do Pica-Pau Amarelo

Museu Lobato: um lugar para quem já é apaixonado e para quem precisa se apaixonar pelo Sítio do Pica-Pau Amarelo

Museu Lobato: um lugar para quem já é apaixonado e para quem precisa se apaixonar pelo Sítio do Pica-Pau Amarelo

É dentro de uma extensa área verde de 18 mil metros quadrados, na cidade de Taubaté, no interior de São Paulo, onde fica o Museu Monteiro Lobato, instalado num casarão do século 19 que pertenceu ao avô materno do escritor, o Visconde de Tremembé. Lá nasceu Monteiro Lobato e foi um dos lugares onde passou tempos até os 12 anos de idade. Estilo rústico com grandes portas e janelas com padrões europeus, o casarão tem a sua estrutura feita de taipa de pilão, uma construção típica das chácaras das “Cidades do Café” da época, abrigando uma biblioteca infantil com as obras de Lobato.

Na extensa área verde, conhecida como Sítio do Pica-Pau Amarelo, se encontram a antiquíssima jaqueira citada nas páginas escritas por Lobato e o pomar da Dona Benta, numa oportunidade fascinante das pessoas deixarem a internet e mergulharem no ambiente que deu vida aos personagens do Sítio mais famoso do mundo, eternizados na literatura infantil brasileira.

Criado em 4 de novembro de 1958, o Museu Histórico Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato tem como missão a preservação e a divulgação da obra do escritor, através de programas de preservação, comunicação e pesquisa, voltados para os mais diferentes públicos, sendo um centro de referência nacional sobre a sua vida e a obra, a literatura infantil brasileira, o folclore e a cultura tradicional caipira.

PATRIMONIO DE TODOS NÓS

Tombado como patrimônio histórico estadual e nacional desde 1962, o Museu chegou a ficar fechado por um longo período para obras de restauração do casarão realizadas pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) e foi finalmente entregue ao público em 1981.  Desde então passou por várias mudanças e estruturação, de modo que somente a partir de 1993 começou a ter diretores/coordenadores, inciando com Benedita Célia Martins, sucedida na sequência por Conceição Molinaro, Consolação de Jesus F. C. Leão, Dálton Brunini Patto, Maria Cristina Lopes, Nathalia Novaes, Keli Santos e Juliana M. de Carvalho, que é a atual coordenadora do museu.

Recentemente o Museu também passou por um processo de modernização, que teve início em 2019 e foi concluído no início deste ano. O local agora conta com mais de mil itens catalogados, divididos em seis tipologias: documentos, bibliográfica, obras completas, hemerográfica, iconoteca e objetos. Todo esse material está disponível de forma gratuita para o público através de um banco de dados digital com manuscritos, fotografias, todas as obras completas de Lobato, tanto da literatura infantil quanto da adulta e onde o visitante pode navegar para conhecer um pouco da vida pessoal e profissional do autor.

O portal também proporciona uma imersão no universo lobatiano por meio de uma exposição virtual gamificada, ou seja, um jogo virtual e gratuito, onde a boneca Emília leva os usuários para uma grande aventura no Reino das Águas Claras e pela Floresta do Capoeirão dos Tucanos, cenários inspirados nas obras “A Menina do Nariz Arrebitado” (1920) e “O Saci” (1922). Neste portal interativo e educativo Emilia, a boneca mais curiosa e esperta do mundo explora também a vida e obra do escritor, com missões e desafios até chegar na Cuca e espantá-la com o pó de pirlimpimpim. Essa aventura conta com a ajuda de Tia Nastácia, Narizinho, Tio Barnabé, do Saci e de muitos livros encontrados pelo caminho. Vale a pena para a criançada jogar o game  e aprender sobre Lobato!

No museu os visitantes encontram um acervo com objetos pessoais como guarda-chuva, valise médica, tinteiro, baú, algumas primeiras edições dos livros do escritor, fotografias, banco de textos, bibliografia, documentações e uma biblioteca com obras de Lobato e de outros escritores. Há também três aquarelas que faz parte da coleção permanente do Museu doadas por José Carlos Sebe Mehy.  Lobato sempre amou desenhar e pintar tento feito inúmeros desenhos a nanquim, aquarelas e pinturas a oleo, e dizia: “No fundo não sou literato, sou pintor. Nasci pintor, mas como nunca peguei nos pincéis a sério, arranjei, sem nenhuma premeditação, este derivativo de literatura e nada tenho feito senão pintar com palavras”.

O museu apresenta ainda uma réplica original da cozinha típica caipira montada nos moldes característicos do Vale do Paraíba, no período colonial do século XVIII. Com um vasto acervo, contendo: Fogão a lenha, pilão de madeira, ferro de passar roupa da época entre outros utensílios.

Para os visitantes o grande diferencial é sem dúvida poder interagir por todo esse ambiente ao lado de atores de teatro que encarnam Emília, Narizinho, Visconde de Sabugosa, Dona Benta, Tia Anastácia e Pedrinho que apresentam o museu de forma lúdica e criativa, passeando pelo sítio, apresentando as dependências, brincando e encantando as crianças.

TEATRO NO MUSEU

Instituídas na década de 1990 pela professora Conceição Molinaro, as atividades teatrais tiveram a sua continuidade garantida pela professora Tina Lopes, (ambas ex- diretoras do museu) cumprindo um importante papel educativo. O enredo é pautado na obra infantil de Monteiro Lobato adaptada pelo educativo do museu de forma colaborativa, com um coordenador artístico e o elenco de atores, onde a cada quatro meses são executadas novas montagens teatrais e os atores atuam caracterizados com as personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo. Atualmente o espaço possui capacidade para 120 pessoas e o elenco conta com 12 atores escolhidos anualmente através de processo seletivo em parceria com o Centro de Integração Empresa Escola.

ACONTECE EM JULHO

Este mês o Museu Monteiro Lobato oferece uma série de três exposições imperdíveis entre elas, a exposição “Revivendo Lobato”, que traz em caráter inédito a apreciação de mobiliários e objetos que pertenceram a família do escritor e até mesmo a José Francisco Monteiro, o Visconde de Tremembé. No dia 2, data da abertura da exposição, a também escritora Cleo Monteiro Lobato, bisneta do autor, fará uma palestra e uma tarde de autógrafos com coquetel para autoridades e convidados.

VISITAÇÃO

O Museu funciona com dias e horários específicos para visitação.

As visitas ao CASARÃO por exemplo, acontecem de terça à sexta-feira das 9h às 16h30 e aos sábados e domingos das 9h às 12h e das 13h às 16h30.

A visitação a Área externa do Museu acontece de terça à domingo, das 9h às 17h.

Já as famosas sessões teatrais acontecem aos fins de semana e feriados, com sessões as 11h e as 16h, desde que haja um público mínimo de 10 pessoas. A retirada de senhas para as apresentações é feita com 30 minutos de antecedência do início de cada sessão.

Para saber mais sobre o museu, acesse o site www.museumonteirolobato.art.br 

...........................................................................................................................................................

Referências:

https://www.sisemsp.org.br/novo-acervo-digital-e-entregue-ao-museu-monteiro-lobato/

https://guiataubate.com.br/museus-em-taubate/museu-historico-folclorico-e-pedagogico-monteiro-lobato

http://www.conhecendomuseus.com.br/museus/museu-historico-folclorico-e-pedagogico-monteiro-lobato/

https://taubate.sp.gov.br/secretarias/museu-historico-folclorico-e-pedagogico-monteiro-lobato/

https://www.a12.com/jornalsantuario/noticias/museu-taubateano-reproduz-mundo-de-monteiro-lobato