MONTEIRO LOBATO DA MINHA INFÂNCIA Cresci sentindo imensa compaixão por Tia Nastácia

MONTEIRO LOBATO DA MINHA INFÂNCIA Cresci sentindo imensa compaixão por Tia Nastácia

MONTEIRO LOBATO DA MINHA INFÂNCIA Cresci sentindo imensa compaixão por Tia Nastácia

Autor: ITAMAR VIEIRA JUNIOR

Data Original: janeiro 2021

Fonte: https://piaui.folha.uol.com.br/materia/monteiro-lobato-da-minha-infancia/

A polêmica obra de Monteiro Lobato voltou ao debate público porque sua bisneta acaba de lançar uma adaptação de Narizinho Arrebitado, uma das onze histórias que integram o livro Reinações de Narizinho. A iniciativa atualiza as ilustrações originais, dando à trama uma identidade visual mais próxima ao nosso tempo. Tia Nastácia, por exemplo, deixa seu habitual figurino para ser representada de turbante, bata e colar de búzios pelos traços de Rafael Sam. O principal motivo da adaptação de Cleo Monteiro Lobato é fazer com que seu bisavô seja descoberto pelos mais jovens. Para tanto, ela suprimiu da versão anterior trechos que hoje soam racistas. Assim, a frase “a boa negra deu uma risada gostosa, com a beiçaria inteira” virou apenas “Nastácia deu uma risada gostosa”.

O racismo nas obras de Lobato tem sido alvo de intensa discussão nos últimos anos e atingiu seu ápice com o parecer técnico de 2010, do Conselho Nacional de Educação, sobre outro livro do escritor, Caçadas de Pedrinho. O documento recomendava a sua utilização em sala de aula apenas “quando o professor tiver a compreensão dos processos históricos que geram o racismo no Brasil”, de modo a acolher os diversos segmentos populacionais que formam a sociedade brasileira, em especial os negros.